Pouso

Pousei por livre vontade
na palma da sua mão
E agora você decide
se é liberdade ou prisão.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Currículo Rejeitadinho

Era a Maria Rejeitadinha
Só mais uma das Marias
Que ninguém amaria
Que ao mundo viria
Por acidente ou acaso
Por desespero ou magia.

Chegava tarde
Saía cedo
Tinha medo dos cabelos
Tinha um torto no andar.

Olhava-se no espelho
Via o sonho e o medo
Os teus olhos assombrar.

Amigos, nem virtuais
Só siderais e imaginários
Conversas e brincadeiras
Só com o monstro do armário.

Maria Rejeitadinha
Que a família não gostava
A professora castigava
Colega de sala apelidava
Padre não abençoava
Caridade não ajudava.

Era a Maria Rejeitadinha
Que livro não tinha pra ler
Pão não tinha para comer
Nada para aprender.

Até o dia que Maria
Achou alguém que te amou
Alguém que a todos abraçava
Sem distinção de palavra, raça ou cor
Foi Maria arrastada
Foi Maria abraçada
Feliz, dominada, sorridente, flutuava
Tchau, Maria
Vai sem medo
Que o mar não rejeita ninguém.

2 comentários:

  1. Quantas "Marias Rejeitadinhas" não existem por aí...

    Ótimo blog, Alana. Parabéns! :)

    ResponderExcluir
  2. Dai voz Alana as muitas "Marias Rejeitadinhas" q existem por aí e a q trazemos em nós! Bj grande, estarei acompanhando.

    ResponderExcluir