Pouso

Pousei por livre vontade
na palma da sua mão
E agora você decide
se é liberdade ou prisão.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

E quando a saudade é imortal?

É interessante como as pessoas costumam “resolver saudade” hoje em dia. O que parece é que as definições de saudade não foram atualizadas.  O que fica claro é uma coisa: saudade não é bom sinal. Quando você começar a sentir saudade de alguém por sucessivos dias e demasiadas horas, repito: boa coisa não é. Afinal, as pessoas que por algum motivo se afastaram de nós, para hoje conseguirem ser chamadas de “distantes” é porque um dia já foram chamadas de “próximas” ou até de “amigo” ou até de “amor”; e, se algo passou de “próximo” a “distante” ou a “muito distante” ou a “Procurado” é porque, caríssimos, a coisa não vai bem mesmo.
Para entender o que se passa nesses infernais momentos, onde só o que se sente é saudade, você deve – primeiramente – tentar se conformar com o fato de que as pessoas não vivem isoladas, por isso, estão sempre conhecendo novas pessoas e é nesse processo que você vai acabar se dando mal. Avalie o grau de distância da sua saudade, mensurando o tempo que a sua saudade passa com outro alguém que acabou de conhecer, alguém que é muuuuito gente boa, engraçado, gosta de tudo e, pra seu maior azar, tem sempre mais chances de estar por perto.
Outra coisa, nunca pense que o problema é com você. O problema não é com você. Seria um absurdo, se o problema fosse com você! Mas, por que desgraça o problema tem que ser com você? Não que seja, mas pode ser. Mas nunca pense que é. Porque pensando assim, você vai acabar cometendo o grave erro de perguntar “o que está acontecendo”. Nunca pergunte o que está acontecendo. Primeiro, porque a pessoa nunca vai te contar de fato o que está acontecendo, porque no fundo ainda há respeito para se pouparem as mágoas e vocês ainda não se odeiam tanto a ponto de falarem a verdade sobre o afastamento; segundo, porque você não vai querer saber o que está acontecendo, é melhor não e, terceiro, porque, mesmo sabendo o que está acontecendo, você não pode resolver absolutamente nada. Porque, provavelmente, alguém está acontecendo e, a não ser que você tenha amigos muuuito influentes, do tipo portador de arma, alguém vai continuar acontecendo todos os dias.
Existe ainda o fator tempo, prepare-se para começar a lidar com a pessoa mais ocupada do mundo, você tentará marcar um encontro por aproximadamente 3 semanas, até conseguir a resposta de uma mensagem. Atender suas ligações, nem pensar, nunca se terá tempo. Se você tiver o sangue frio de provocar a ira, faça uma surpresa. E foi um prazer ter te conhecido.
Mas a parte pior, a pior parte de todas, é a hora de “matar a saudade”, pois as pessoas já não conseguem compreender do que se trata saudade. Saudade não se cura com uma conversa, uma tarde, uma noite. Saudade se cura com o retorno das coisas à sua normalidade. Não é saudade de ver, é saudade de ter. Mas as pessoas continuam marcando encontros ridículos de duas horas em qualquer esquina, quando, no passado, se passavam horas e horas no aconchego de um quintal, rindo da vida, falando das maiores besteiras, caindo e levantando de bicicleta, fazendo carinho pra dormir... despedindo-se com um “até amanhã.” Um “até amanhã” que vira um silêncio absurdo, por não se saber ao certo se haverá um amanhã para aquelas pessoas que tanto se perderam no caminho. Uma despedida que traz mais saudade do que trazia a saudade anterior. A verdade é que ninguém está mais disposto. Um não está mais disposto a procurar, está por demais cansado e acha que já foi por demais humilhado até chegar ali; outro simplesmente não faz questão: alguém melhor está acontecendo.
Se você quer realmente não sentir mais saudade de alguém, o conselho que posso te dar é: encontre alguém. Não, não esse, outro. Depois de tanta ação do tempo e tantas pessoas que apareceram, você nunca mais vai conseguir retomar as coisas, elas nunca voltarão a ser como eram antes. Você vai precisar se reinventar e tentar começar tudo de novo, com outro alguém para dividir seu quintal. Não adianta, é muita gente no mundo, é o mundo girando muito rápido e, nesses movimentos todos, junto com o mundo as pessoas vão girando e se afastando. Pode ser até que um dia elas parem em você de novo, mas vocês já terão se esquecido o suficiente. A natureza humana é desesperadora, principalmente pra quem tem dificuldade de crescer. 

Um comentário:

  1. "Se você quer realmente não sentir mais saudade de alguém, o conselho que posso te dar é: encontre alguém". É. M.

    ResponderExcluir