Pouso

Pousei por livre vontade
na palma da sua mão
E agora você decide
se é liberdade ou prisão.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

26 de fevereiro

- Não sei amar sem dar a vida e, a cada vez que experimento amar, perco um pouco de minha vida por aí... e, daqui a pouco, eu não vou ter nada, nadinha mesmo, porque já me resta pouco.
- O pior que é assim mesmo. E eu me quero pra quê? Você se quer pra quê?
- É... Pra que viver para sempre confinada em mim, não é? Mas... quando todo mundo for embora, eu tenho que ter a mim! Se não, a quem mais eu vou ter?
- A mim.
- Mesmo quando eu estiver sem nenhum amor e sem nenhuma poesia pra você? Mesmo quando eu estiver tão destruída que não restar mais nenhuma sombra de vida em mim?
- Mesmo quando você for só carcaça. Não deixará de ser você e é isso que importa. Estava vendo tudo morto... e a única coisa que ainda me fazia sentir paz era a música e o livro que carrego. Você está me fazendo bem, não vá embora.

"Próprio de dias nublados e carregados de saudade."

Nenhum comentário:

Postar um comentário