Pouso

Pousei por livre vontade
na palma da sua mão
E agora você decide
se é liberdade ou prisão.

sábado, 28 de abril de 2012

Pensando alto

Quero deixar claro que o texto que segue é altamente pessoal e não tem nenhuma proposta literária ou ficcional. O caso é que eu realmente preciso dizer que eu estou com dor de cabeça. Eu sei, todo mundo tem dor de cabeça. Mas eu nunca tive com tanta frequência. Em 21 anos, eu tive dor de cabeça consequente de gripes, resfriados, dengues, dores de dente, de ouvido, pedras no rim, catapora, enfim; mas duas semanas seguidas de pura dor de cabeça sem fim, por motivos que eu até então desconheço, nunca. Vim aqui tentar descobrir. Nesse adorável irrelevante texto. Sim, minha fonte de descoberta de mim mesma - e dos outros também - é escrever.
Duas semanas. Mais de dez dias de uma dor de cabeça fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que à morte ela me leve. Por quê? Será que é a obsessão que 2012 me trouxe de crescer? Prometi para mim um ano de amadurecimento completo e isso implica responsabilidades. Correr atrás de um bocado de coisa que eu tô querendo faz tempo, sejam materiais ou sentimentais. Botei na cabeça que tá na hora. Crescer dá dor de cabeça.
2012 me ensinou em três meses, assim rapidinho, que pessoas surgem em nossas vidas, saem de nossas vidas e não podemos nos despedir delas de uma vez, mas também não podemos esperar que elas voltem. Você não pode chorar. Você tem que ser forte. Mesmo estando com dor de cabeça. Há duas semanas ininterruptas. Desapego dá dor de cabeça.
Como eu queria que Clarice estivesse viva. (Me desculpem a desorganização desse texto, estou claramente sem veias literárias, só pensando alto). Clarice deveria estar aqui e ser minha amiga; mais do que já é. Eu queria conhecer Clarice de mão incendiada, foi nessa época que ela ditava as coisas para os amigos datilografarem, pois a mão estava impossibilitada. Eu queria ser essa amiga. Eu queria! E eu não estaria com dor de cabeça, porque Clarice estaria falando pra mim aquelas coisas lindas, minhas. Na primavera!
Certamente Clarice não gostaria de mim e isso me daria dor de cabeça. Imaginar que alguém que eu quero que goste de mim não goste de mim me dá dor de cabeça. Por duas semanas. Sem interrupção. Insegurança dá dor de cabeça.
Perdoem mesmo. Mas eu sabia que ia funcionar. E funcionou. Descobri. Meus próprios planos me deixam com dor de cabeça. Eu criei um monstro. Vocês que já cresceram e já desapegaram: a dor de cabeça passsa ou é para sempre, tipo um novo órgão do corpo de um adulto?
Ai! Que dor de cabeça...

Nenhum comentário:

Postar um comentário