Pouso

Pousei por livre vontade
na palma da sua mão
E agora você decide
se é liberdade ou prisão.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

A poesia muda

Professores não mudam
o  mundo
não ganham dinheiro
e trabalham sozinhos.
E a poesia muda.

A polícia não muda
o bandido
paga o crime com crime
e enfileira os caminhos.
E a poesia muda.

A televisão não muda
os olhos
manipula e doutrina
hipnotizando os dias.
E a poesia muda.

O governo não muda
o povo
não muda a postura
e rouba as crianças.
E a poesia muda.

As pessoas não mudam
os valores
não comem amor
e não saem de si.
E a poesia muda.

O caminho da poesia

Não estou preocupada
com a métrica
com a medida
nem com a estética.

Estou preocupada com o homem:
sem olhos
sem dentes
sem nada além
de uma faca
na goela
e outra na mão.

Se a poesia não chegar
ao estômago do assassino,
às orelhas do cidadão,

morre o homem
morre a poesia
e morre o sentido.